OIAM exige do Governo rampa roll on/roll off e aeroporto internacional para o Maio

A Onda Independente para Avanço do Maio (OIAM), oposição na Assembleia Municipal da ilha do Porto Inglês, diz-se preocupada com a falta de soluções e com a forma como o Governo vêm tratando algumas questões importantes para aquele município.

Através de uma nota de imprensa, a OIAM lembrou que o partido do Governo (o MpD) considerou, durante as campanhas eleitorais, que o desenvolvimento do Maio passava pela colocação rampa roll on/roll off e pela construção de um aeroporto internacional. Um apelo, que conforme a OIAM fez-se até com recurso a imagens “chocantes” de evacuados de doentes por via marítima.

“Assistiu-se também algumas manifestações de desagrado protagonizadas pela deputada nacional do MpD pelo círculo da Ilha e por um grupo de militantes daquele partido contra a forma como o Governo de então vinha encarando a situação dramática por que passavam os maienses em relação aos transportes marítimos de e para a Ilha”, afirmam.

Sendo assim, esperançados , como assegura o grupo independente, de ver tais infraestruturas e animados pela promessa de que o Maio teria o seu problema de acessibilidade resolvido, os maieneses deram mais um voto de confiança ao MPD para governar o país e a Ilha.

“Hoje, com o MPD no Governo, o aeroporto internacional já não é prioritário para o Maio e a ilha só irá, eventualmente, ter uma rampa roll off/roll off daqui a dois anos”, diz.

Com essa postura, entende a OIAM que o MPD esta a abusar do espírito pacífico dos maienses e por isso exige “mais seriedade e respeito para com a ilha e as suas gentes”.

No rol dos criticados entra ainda a Câmara Municipal, pela forma como organizou o evento “Encontro Estratégico – Projetar o Maio para o Futuro”. Para a OIAM, a edilidade o fez de forma de “exclusiva”, deixando de fora quase todos os quadros da Ilha, sendo que eles próprios também não foram convidados.

Por isso, exorta a CMM “a colocar os interesses do Maio e dos seus habitantes ante os interesses do Partido que representa”. Essa mesma edilidade que a OIAM acusa de não estar a fazer a não ser viajar com a desculpa de buscar parcerias e de estar mais “fraca” depois da demissão de um dos vereadores.

A NAÇÃO