Governo pede financiamentos do BEI para projectos privados no sector turístico

A proposta foi apresentada pelo ministro cabo-verdiano das Finanças, Olavo Correia, na abertura de um workshop sobre “Mecanismos e Oportunidades de Financiamento/investimento para o Sector Privado cabo-verdiano”.

Ao proceder à abertura do encontro, na presença de uma missão do BEI, Olavo Correia garantiu tratar-se de projectos privados que vão gerar rendimentos, empregos e criar riquezas em todo o país.

“O Governo incentiva e dá todo o suporte a todos os projectos que sejam bem montados, que tenham uma boa estrutura financeira e promotores credíveis. Estes projectos terão todo o conforto do Governo e poderão ser submetidos ao BEI para efeito de financiamento”, precisou.

O governante aproveitou a ocasião para anunciar a próxima deslocação ao Luxemburgo, sede do BEI, de uma missão cabo-verdiana que integrará promotores de projectos no sentido de convencer os dirigentes dessa instituição financeira europeia a disponibilizarem financiamentos.

A prioridade é para projectos turísticos, já que, na perspectiva do Governo, o turismo é o sector catalisador da economia, uma vez que “actualmente o turismo representa cerca de 25 porcento do Produto Interno Bruto (PIB) nacional e está concentrado em 90 porcento em duas ilhas, designadamente as do Sal e Boa Vista, e num único produto, sol e mar, de acordo com o governante.

“A intenção do Governo é estender o fenómeno turístico a todas as ilhas habitadas e diversificar a oferta turística”, anotou.

O BEI financiou, recentemente em Cabo Verde, quatro projectos nas áreas de energias, a água, o sector financeiro e transportes, sendo dois públicos e dois privados, nomeadamente a reabilitação do Porto da Palmeira na ilha do Sal e Parque Eólico e outros da empresa pública de electricidade e água (Electra).

A nível da África, o Banco tem financiado, para além de Cabo Verde, projectos no Benin, no Togo, no Senegal, no Mali, na Libéria, no Burkina Faso, entre outros países, com até 50 porcento do total do orçamento.

ANGOP